sábado, 27 de outubro de 2007

Não quero ser condenado...

Não quero ser condenado
Esta medalha não lutei pra conseguir
Se acha que deves me punir
Que assim seja, está achado

Germina este sentimento errado
De farpas que usa pra agredir
De armas, de verbos, pra ferir
Vou aceitar, Está falado

Me calo porque me apedrejo
Pra não ver este amor se esvair
Em lágrimas de dor e solidão

Por que te quero tanto amor, que vejo
Minha vida empenhada em desmentir
Que não te amo, e que não é seu meu coração.

Um comentário:

Erika disse...

como pode algo tão belo e simples ser ao mesmo tempo bélico e doído?

beijo e ótimo domingo