sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Maratona

A dica é deixar as coisas correrem
Foi o que ela disse
Mas tenho medo de deixar-las correrem demais e com o passar do tempo ficar cansado de persegui-las
Não é egoísmo
Nem eu nem ela
Talvez ela
Talvez eu
Sei lá
Mas ela correu na frente e já está com alguns kilometros de vantagem.
Se eu parar agora eu vou perdê-la de vista
E se eu continuar?
Posso cair no meio do caminho, posso morrer de fadiga ou posso apenas ficar cansado de toda essa maratona ingrata
Queria mesmo é que ela deixasse pra lá essa história de correr dos problemas de antes
Queria alcançá-la mais não posso mais
Ela está cada vez mais distante
Bem que ela podia voltar
Ou me esperar
Mas não espera
Só faz correr
De vez em quando pára e acena
Só pra eu ver o sorriso dela
E como está linda
Só pra eu sentir aquela velha paz
Do amor que eu sempre senti
Só pra mostrar pra mim
Que talvez não a alcance nunca mais

Um comentário:

Bárbara (B.) disse...

Que surpresa vê-lo de volta e à toda! Andavas tão parado...

Voltei a pouco e espero pegar o ritmo também.

Adicione você no last.fm, moço.

Beijo meu.