quinta-feira, 17 de julho de 2008

Diário de Zébio

Primeira parte.

Desejo. É o que move a vida. Mais importante até que o amor. O desejo é instantâneo, brutal, essencial como o ar. Pálida é a amargura, que fica quando o desejo é impossível, distante ou perdido. Desejar ser percebido, amado, visto não apenas como apenas mais um numa multidão de "nenhuns" é o combustível de uma existência desgraçada!

3 comentários:

Kat disse...

Até o desejo de desejar
é o que faz o mundo girar.

Bárbara (B.) disse...

E como é, moço. Tens toda a razão. Mas existem outras coisas tão ruins quanto... e como eu sei que existem.

Beijo meu.

LEONARDO C. DE ALMEIDA disse...

Blog legal e cheio de informação que toca a mente ou o coração.

Me faça uma visita virtual quando tiver um tempinho.

Abraço.